Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2013

Faxina da Alma

Não importa onde você parou,  em que momento da vida você cansou. Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo, é renovar as  esperanças na vida e o mais importante, acreditar em você de novo.
Sofreu muito  nesse  período? Foi aprendizado. Chorou muito? Foi limpeza da alma. Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia. Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechaste a porta até para os anjos.
Acreditou que tudo estava perdido? Era o início da tua melhora. Pois é… agora é hora de reiniciar, de pensar na luz, de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Um corte de cabelo arrojado diferente, um novo curso, ou aquele velho desejo de aprender a pintar, desenhar, dominar o computador, ou qualquer outra coisa. Olha quanto desafio, quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando… Ta  se sentindo sozinho? Besteira, tem tanta gente que você afastou com o seu “período de isolamento”. Tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu  para “chegar”  perto de você. Quando nos tranc…

A existência de Deus

Havia um senhor, que era dono de uma bem-sucedida farmácia numa cidade do interior. Era um homem bastante inteligente, mas não acreditava na existência de Deus ou de qualquer outra coisa além do seu mundo material. Um certo dia, ele estava fechando a farmácia quando chegou uma criança aos prantos a dizer que sua mãe estava passando mal e que se ela não tomasse o remédio logo iria morrer. Muito nervoso com a insistência da criança, resolveu reabrir a farmácia para ir buscar o remédio.  A sua insensibilidade perante aquele momento era tal que acabou por pegar o remédio mesmo no escuro, entregou-o a criança, que agradeceu e saiu dali as pressas. Minutos depois, percebeu que havia entregado o remédio errado para a criança, se aquela mulher o tomasse, teria morte instantânea. Desesperado, tentou alcançar a criança, mas não teve êxito. Gritou em desespero... e o tempo passava e nada acontecia. Sem saber o que fazer e com a consciência pesada, ajoelhou-se e começou a chorar e dizer que se realm…

Lágrimas de crocodilo

Crocodilo é o nome comum a catorze espécies dos répteis da família crocodylidae. Os crocodilos vivem nas Américas, África, Ásia e Austrália. Eles habitam geralmente as margens de rios, enquanto os da Austrália e ilhas do Pacífico também frequentam o mar. O único predador natural do crocodilo é o tigre que raramente alimenta-se dele em determinadas áreas da Ásia. Desde a antiguidade clássica, difundiu-se o mito de que o crocodilo emite um som semelhante a um soluço humano, quando atraem as pessoas até sua caverna. E depois de devorá-las, deixa cair amargas lágrimas, talvez de compaixão pelo triste destino de suas vítimas. Esta é a origem da expressão "lágrimas de crocodilo", usada para referir-se a quem chora para fingir um sentimento que não é verdadeiro, que é fingido, falso ou hipócrita. Mas porque será que se diz isso? Será que os crocodilos choram mesmo?  De acordo com o professor Ari Riboldi, em seu livro O Bode Expiatório, a origem da expressão é biológica. Quando o croc…

A botija e a alma

Era uma vez um rei que enviou seu servo numa jornada:  - Vês esta longa estrada, meu servo? Seguirás por ela sem te desviares. O reino para onde vais está no final dela. Por todo o caminho levarás esta botija, a qual entregarás ao rei daquele lugar e receberás tua recompensa. Assim, conforme lhe foi ordenado, partiu o servo, levando a preciosa botija, obra-prima do oleiro. A estrada se perdia de vista. Atravessava planícies e rios. Algumas vezes se estendia pelo alto dos montes, outras vezes pelo fundo dos vales. Havia trechos ladeados de árvores que proporcionavam sombra, mas havia outros áridos, fustigados pelo sol. Passados muitos dias, o servo encontrou uma caravana de ciganos. Estes insistiram e acabaram por convencê-lo a seguir com eles. Logo ele aprendeu a arte de trapacear e mentir, fingindo ver na palma da mão o destino de crédulos incautos. Entre os vadios, o servo adquiriu o hábito do desleixo e da indolência. Enganado e enganando, não viu o tempo passar. Um dia, como se acord…